Foco nas mãos de uma pessoa escrevendo com a mão direita e usando a calculadora com a mão esquerda

Como economizar meu dinheiro com declaração de imposto de renda?

A cada ano que se inicia, muitas pessoas começam a se preocupar em prestar contas com o famoso Leão, ou seja, com o momento de comprovar seus rendimentos e despesas para a Receita Federal. Nesse período, muitos fazem a seguinte pergunta: como economizar meu dinheiro com o imposto de renda?

Você sabia que há uma série de ações que podem ser tomadas ao longo do ano e que contribuem para uma redução no valor pago ao IR? Tudo isso dentro dos preceitos legais. Neste artigo, vamos mostrar esses meios e como você pode começar a agir a partir de hoje para se beneficiar. Acompanhe!

As deduções permitidas pelo imposto de renda

A maneira mais comum de economizar com o pagamento do IRPF é por meio das despesas dedutíveis. A Legislação permite que determinados gastos sejam abatidos da base de cálculo da apuração do imposto.

Portanto, para se beneficiar, é necessário guardar os respectivos comprovantes fiscais de cada despesa auferida. Um gasto que não pode ser comprovado por meio dos documentos hábeis não deve ser incluído na sua declaração. Confira, agora, as despesas dedutíveis mais conhecidas:

Dependentes

Os dependentes são a forma de dedução mais comum do imposto de renda. São enquadrados nessa categoria:

  • cônjuge, desde que não tenha renda;
  • filho ou enteado com até 21 anos, ou de qualquer idade caso seja portador de necessidades especiais;
  • filho ou enteado de até 24 anos, desde que esteja cursando graduação em nível superior, técnico ou profissionalizante;
  • Mãe, Pai, Avô ou Avó, desde que não tenha renda comprovada.

A Legislação do IR trouxe algumas modificações para as declarações enviadas a partir de 2018. Uma delas é a inclusão de filho como dependente em caso de pais separados. A outra é a obrigatoriedade de inscrição no CPF para aqueles que forem maiores de 8 anos.

Com relação aos dependentes, é preciso ter muito cuidado. Caso alguns deles tenha renda comprovada, será necessário informar esse rendimento em sua declaração, sob pena de o contribuinte cair na famosa malha fina.

Despesas médicas e odontológicas

Os gastos em clínicas e consultórios médicos e odontológicos — desde que os serviços tenham sido utilizados por você ou por algum de seus dependentes — podem ser deduzidos da base de cálculo do IR, acompanhados dos respectivos documentos comprobatórios.

Gastos com educação

Os pagamentos ocorridos dentro de um ano para instituições de ensino também podem ser utilizados para abater na base de cálculo do IR. Nesse ponto, é importante ter atenção, já que nem toda despesa com educação poderá ser incluída. Por exemplo, gastos com cursos livres e de idiomas não são dedutíveis.

Previdência Privada

Outra dedução permitida pela legislação do Imposto de Renda é a previdência privada na modalidade do Plano Gerador de Benefícios Livre (PGBL). No entanto, existe uma limitação para esse abatimento: ele não pode ser superior a 12% da sua renda.

Recolhimento do INSS de empregado doméstico

A dedução do valor pago a título de INSS de empregado doméstico também pode ser utilizada para abater a base de cálculo do IR, desde que não ultrapasse o limite anual de R$ 1.093,77.

As Isenções do Imposto de Renda

Além das deduções, a legislação do IR também concede isenção sobre os lucros obtidos em alguns tipos de operação. Conheça agora as isenções do Imposto de Renda:

  • rendimentos provenientes da poupança, Letras de Crédito Agropecuário e Imobiliário (LCA e LCI);
  • dividendos recebidos de empresas (distribuição de lucros);
  • auxílios e pensões;
  • ganho com venda de imóvel único de valor não superior a R$ 440 mil;
  • lucro na venda de ações e de ouro com valor inferior a R$ 20 mil;
  • lucro na venda de bens ou direitos com valor mensal não superior a R$ 35 mil, exceto as ações.

Aproveitando alguns desses elementos, você pode economizar dinheiro quando for declarar o seu imposto de renda. Tudo dentro dos preceitos da legislação que regulamenta o IR.

Declaração simples ou completa: as duas modalidades de preenchimento

Se você já tentou fazer a sua declaração do imposto de renda, certamente se deparou com duas opções: a declaração simplificada e a completa. No entanto, você sabe o que significam esses dois formatos de preenchimento?

O modelo simplificado é a opção mais utilizada. Isso ocorre porque pessoas que não têm uma grande quantidade de despesas para deduzir podem economizar mais dinheiro que na outra opção. Além disso, existe um abatimento automático de 20% sobre todos os rendimentos tributáveis ocorridos no ano, limitados a R$ 16.754,34.

Outro motivo pelo qual muitas pessoas selecionam essa modalidade é a possibilidade de abater os impostos retidos ao longo do ano.

A declaração completa deve ser utilizada por quem tem muitas despesas comprovadas para abater, como as que informamos anteriormente. As pessoas que escolhem essa modalidade deve ficar atentas ao prazo de guarda dos documentos comprobatórios das despesas informadas, que é de 5 anos.

Diante desses fatos, a pergunta que fica no ar é a seguinte: como economizar meu dinheiro com essas duas modalidades de declaração do IR? Simples! Primeiro, o próprio sistema que gera a declaração já faz uma análise comparativa das duas opções.

No entanto, você pode avaliar o seguinte critério: se o somatório de todas as suas despesas dedutíveis for maior que R$ 16.754,34, então o modelo completo é mais indicado. Se for menor, você deve optar pelo formato simplificado para obter o abatimento de 20% sobre as receitas tributáveis.

Como economizar meu dinheiro: o papel do contador na declaração do IR

Independentemente do formato selecionado, volume de receitas e despesas e demais questões, o ideal é que você sempre conte com o apoio de um profissional da área da contabilidade para realizar o preenchimento do seu Imposto de Renda.

Ele saberá indicar as melhores opções para você economizar e, principalmente, identificar possíveis pontos obscuros que podem fazer com que você tenha problemas com a Receita Federal.

Aquele que considera o auxílio técnico de um contador um gasto desnecessário pode se arrepender amargamente no futuro. Afinal, as sanções aplicadas pelo fisco são bem mais severas que os honorários de um bom profissional contábil.

Com todas essas dicas, você já deve ter uma resposta clara para a pergunta: “como economizar meu dinheiro com o imposto de renda”. Seguindo todas as orientações, principalmente a última, dificilmente terá problemas com o Leão e desfrutará da tranquilidade de saber que está cumprindo todas as exigências legais.

Gostou deste artigo? Que tal continuar aprendendo sobre o assunto? Leia agora o conteúdo que preparamos com tudo o que é preciso saber sobre o Imposto de Renda!


Comentários: