Trabalho de freelancer: tire suas dúvidas e alcance o seu sucesso

Trabalho de freelancer: tire suas dúvidas e alcance o seu sucesso

Como freelancer, você pode trabalhar de qualquer lugar do mundo, organizar o seu  tempo e criar uma rotina que melhor encaixe no seu perfil para curtir uma certa autonomia.

Em um passado não muito distante, apenas as pessoas consideradas mais ousadas ou que ainda não eram donas do próprio negócio é que realizavam trabalhos de freelancer.

Hoje, diante da atual conjuntura econômica financeira do país e com a crescente transformação digital pela qual o mercado de negócios passa, ser freelancer se tornou uma opção cada vez mais comum.

Ainda assim, para empreender na carreira de freelancer é preciso entender quais as características de sucesso de um profissional freelancer no mercado, como funcionam as questões legais e como organizar a gestão financeira.

Acompanhe o texto que preparamos para que você possa tirar suas dúvidas e alcançar o sucesso como profissional freelancer único e diferenciado.

1. Vale a pena ser freelancer?

Ainda existem muitas dúvidas sobre valer a pena ou não prestar serviços como freelancer. Assim, antes de tudo, é importante avaliar os prós e contras da atividade para seguir nesse caminho.

Tendo isso em mente, conheça agora alguns pontos positivos de ser freelancer:

Flexibilidade de horário

Um dos principais atrativos para a atividade de freelancer é poder organizar seus horários como bem entender. Ou seja: tendo total liberdade de escolher hora e local para trabalhar, além de não precisar madrugar todos os dias e enfrentar o trânsito para chegar ao local de trabalho.

Isso permite, por exemplo, ter tempo para desenvolver atividades paralelas, como fazer um curso ou frequentar a academia. Ou ainda dispor de mais tempo para dedicar aos filhos pequenos ou cuidar de algum familiar que não está bem de saúde.

E claro, trabalhar no conforto do lar, em seu home office, é sem dúvida, uma grande vantagem para quem trabalha como freelancer e deseja ter mais qualidade de vida.

Rede de contatos

Outra grande vantagem do trabalho freelancer é a rede de contatos que se estabelece com várias empresas e profissionais.

Quanto mais contatos você tiver, melhor para a carreira, pois isso significa mais clientes e trabalhos, garantindo maior segurança de que seu orçamento não será comprometido se perder algum deles. Afinal, o freelancer ganha por trabalhos concluídos.

Ademais, uma grande variedade de contatos e trabalhos evita que o freelancer fique entediado, como muitos colaboradores de empresas, que passam os dias executando as mesmas tarefas.

Experiência profissional

Tanto para quem está no mercado há algum tempo, como para quem está começando a carreira agora, a experiência adquirida com o trabalho de freelancer é muito importante.

Caso deseje voltar ao mercado formal, você poderá descrever suas principais atividades desenvolvidas nesse período e se identificar como prestador de serviços.

Dessa forma, você demonstrará que você não ficou parado ou deixou de adquirir conhecimento e evoluir, especialmente se os trabalhos desenvolvidos forem na sua área de atuação.

Como “freela”, você certamente terá inúmeras atividades diferentes e acumulará bastante aprendizado em pouco tempo.

Agora que conheceu os positivos, veja alguns pontos negativos do trabalho de freelancer.

Instabilidade Financeira

Como freelancer, seu orçamento depende única e exclusivamente da demanda de trabalhos e da pontualidade com que os clientes realizam os pagamentos.

Pois é, ser seu próprio chefe não é tão simples quanto parece. Assim sendo, trabalhar sem vínculo empregatício exige alguns sacrifícios, disciplina e foco.

Você poderá ganhar muito em um mês e quase nada no outro ou ainda, se não realizar nenhum trabalho, fechar o mês no vermelho, tendo que recorrer ao cheque especial ou a empréstimos.

Por isso, ter total controle sobre o orçamento é primordial para as suas finanças. Assim, caso ocorra algum imprevisto — como adoecer — você não ficará desamparado financeiramente.

Ficará mais solitário

Não terá ninguém cobrando o andamento das suas atividades, ou colegas na mesa ao lado para convidar para um “cafezinho”. Em suma, é preciso saber quando parar e retornar ao trabalho.

Talvez você se sinta um pouco solitário sem os colegas para bater um papo nos intervalos. Por isso, cuide também para fazer atividades de lazer e socializar com amigos e familiares.

Sobretudo, cuide do seu emocional e psicológico para não deixar isso comprometer o seu rendimento.

Recebimento de clientes

Um ponto que merece bastante atenção é a forma como seus clientes vão remunerar o seu trabalho. Algumas empresas, por exemplo, exigem que o freelancer tenha CNPJ e receba como pessoa jurídica. Outras não terão problemas em fazer os pagamentos para pessoa física.

Portanto, antes de aceitar e iniciar um trabalho confira essas informações e também os descontos (Imposto de Renda, INSS, ISS) que incidirão sobre o valor do serviço.

Depois, realize os cálculos para saber se o trabalho vale a pena ou se é preciso negociar melhores condições com o cliente.

2. Como ter sucesso nessa área?

O trabalho de freelancer é, sem dúvida, uma ótima alternativa para quem almeja liberdade, qualidade de vida e independência profissional.

Contudo, para alcançar o sucesso nessa área é muito importante estabelecer regras fundamentais como planejamento e organização. Veja alguns passos primordiais:

Determine sua área de atuação

Determinar sua área de atuação é o primeiro passo rumo ao sucesso e, por isso, o mais importante. Escolha algo pelo qual você tem paixão ou foque naquilo que já estudou.

O que faz você acordar motivado todos os dias para trabalhar? O que desperta o desejo de aprender sempre mais? Especialize-se nesse nicho, estude o máximo que puder, inove e busque melhorar suas habilidades. Essa regra vale para qualquer área de negócio.

Não tenha dúvidas: quanto mais experiência você adquirir, maiores serão as possibilidades de entregar trabalhos de qualidade e, consequentemente, ser contratado.

Desenvolva um planejamento

Antes de iniciar seu trabalho de freelancer, desenvolva um planejamento criterioso. Isso significa saber priorizar cada tarefa para não se confundir e prejudicar a produção, já que cada trabalho tem um prazo para ser concluído.

Assim, organize as tarefas pelo prazo de entrega e verifique todas informações e instruções para o seu desenvolvimento e quais recursos são necessários para sua execução.

O planejamento é essencial para se orientar e não perder o foco nos seus objetivos, assim como trabalhar com mais tranquilidade e de maneira estruturada.

Defina seu espaço de trabalho

É fundamental escolher o melhor local para trabalhar, pois é onde você passará a maior parte do dia. Principalmente para quem se distrai com facilidade, um local adequado assegura o foco necessário para cumprir todos os prazos e não falhar em nenhum dos compromissos assumidos.

Ainda assim, se você não gosta de trabalhar sozinho, pode optar por espaços de coworking. Neles, é possível trabalhar com profissionais de diversas áreas e fortalecer seu networking, além de poder contar com um espaço mais adequado caso precise se reunir com seus clientes.

Utilize seu escritório para realizar trabalhos mais complexos, que demandem mais silêncio e concentração.

Estipule um horário de trabalho

A flexibilidade de horário deve ser sua aliada e não prejudicar sua produção. Logo, é fundamental se organizar no sentido de ter um horário de trabalho definido para desenvolver suas atividades.

Assim, você poderá organizar melhor sua rotina e realizar aquelas que queira ou necessite. Também tente não trabalhar demasiadamente, pois isso pode prejudicar sua saúde, relacionamentos e demais áreas da sua vida.

Em outras palavras, estipule um horário para realizar seu trabalho freelancer e faça dele um hábito.

Escolha bem as ofertas de trabalho

Aprenda a ser criterioso na escolha dos trabalhos. Ou seja, não se venda por ninharia, não perca tempo e não gaste energias com clientes que não acrescentam em nada.

No princípio pode parecer prepotência, mas com o tempo você aprenderá a dizer não a projetos duvidosos, investindo seu tempo em clientes que realmente valem a pena.

Supere a concorrência

O trabalho de freelancer é muito atrativo e cada dia mais concorrido. Portanto, é preciso oferecer algo a mais para se manter atuante e superar a concorrência.

Valores são importantes, mas não são os únicos critérios de escolha por um profissional. Cumprir prazos, entregar trabalhos de qualidade, ser organizado e inovador são pontos fortíssimos e que diferenciam um bom profissional frente aos concorrentes.

Para isso, esteja sempre bem preparado e invista na sua capacitação, realizando cursos e workshops na sua área que enriqueçam ainda mais o seu portfólio.

Valorize seu trabalho

Realize uma pesquisa de mercado para saber quanto estão cobrando pelos serviços que você prestará. Assim, não há risco de receber menos do que está sendo cobrado no mercado.

Afinal, é importante ajudar os clientes a entender a complexidade e o valor do seu trabalho. Isso porque a maioria só conhece a própria área de atuação e não as demais, desconhecendo valores e outros aspectos que envolvem o trabalho de um freelancer.

Sobretudo, valorize o seu trabalho, pois só assim os clientes o valorizarão.

3. O que o freelancer precisa saber sobre contabilidade?

Muitas pessoas que trabalham como freelancer acreditam não precisar ter conhecimento sobre contabilidade. Porém, é preciso muito cuidado para não ter de recorrer a um contador somente quando as finanças apertarem, declarar o imposto de renda ou na necessidade de emitir uma nota fiscal.

Aliás, muitas empresas só contratam o trabalho de um profissional freelancer se este emitir nota fiscal dos serviços prestados. Portanto, ter uma boa gestão contábil e financeira é essencial para profissionalizar o seu trabalho de freelancer e torná-lo uma efetiva fonte de renda.

Além disso, com um bom controle contábil e financeiro, você conseguirá visualizar de uma maneira mais clara o retorno do seu trabalho de freelancer em relação às horas trabalhadas, saber exatamente quais impostos incidem sobre os trabalhos e, consequentemente, precificar melhor os serviços.

4. Como legalizar meu trabalho?

Como já dito, muitas empresas dão preferência a profissionais devidamente legalizados, pois podem emitir nota fiscal, além de a formalização remeter a uma maior responsabilidade e qualidade dos serviços prestados.

Uma boa alternativa para legalizar o seu trabalho de freelancer é se formalizando como Micro Empresa ou como MEI – Micro Empreendedor Individual:

Formalize-se como Microempresa ou como Micro Empreendedor Individual

Tanto o MEI como ME são enquadrados no Simples Nacional.

Como Microempresa ou MEI você terá um CNPJ,conta bancária como pessoa jurídica, acesso à créditos e financiamentos e poderá emitir nota fiscal, aumentando suas chances no mercado de trabalho.

Entre os demais benefícios, a carga tributária é reduzida e bastante vantajosa se comparada com a de profissionais autônomos.

O processo de formalização do MEI é mais simples que o de Micro empresa, mas tem algumas restrições. Verifique o que melhor se encaixa na área. Algumas atividades que geralmente são exercidas por freelancer, como consultoria, designer, tradutor, desenvolvedor entre outras, por exemplo, não estão autorizadas no MEI, mas com uma orientação contábil, você pode encontrar o melhor enquadramento para a sua atividade com carga tributária compatível à sua realidade.

5. Como declarar imposto de renda?

Mesmo sendo freelancer declarar o imposto de renda é importante, pois é um documento oficial para comprovação de renda, para eventuais aquisições de bens e obtenção de empréstimos ou financiamentos.

Além disso, evita problemas futuros, pois o Fisco tem em sua base, todos os dados sobre bens e movimentações bancárias, fazendo a interligação dessas informações. Veja abaixo as condições de obrigatoriedade:

Condições de obrigatoriedade

  • recebeu rendimentos tributáveis, com soma superior a R$ 28.559,70;
  • recebeu rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, superiores a R$ 40.000;
  • obteve, em qualquer mês, ganho de capital na alienação de bens ou direitos, sujeito à incidência do imposto, ou realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas;
  • obteve receita bruta em valor superior a R$ 142.798,50 originária de atividade rural;
  • teve a propriedade ou a posse de bens e direitos, inclusive terra nua com valor superior a R$ 300 mil;
  • passou à condição de residente no Brasil em qualquer mês e nessa condição se encontrava em 31 de dezembro;
  • optou pela isenção do imposto sobre a renda incidente sobre o ganho de capital auferido na venda de imóveis residenciais, cujo produto da venda seja destinado à aplicação na aquisição de imóveis residenciais localizados no País, no prazo de 180 dias contados da celebração do contrato de venda.

Para realizar a declaração é preciso baixar o Programa Gerador da Declaração (PGD) disponível no site da Receita Federal.

Documentos necessários para realizar a declaração ano-base 2016

  • Título de Eleitor para quem declarar pela primeira vez;
  • número do protocolo da declaração do IRPF 2016. As declarações que constarem esse dado terão prioridade de processamento;
  • informes de rendimentos, pró-labore, distribuição de lucros, aposentadorias e honorários recebidos;
  • informes bancários de aplicações financeiras, depósitos, empréstimos, financiamentos e saldo em conta corrente;
  • comprovantes de compra e venda de bens;
  • comprovantes de planos de saúde ou despesas médicas;
  • comprovantes de despesas com educação;
  • comprovantes de aluguéis pagos e recebidos;
  • número do CPF de dependentes ou alimentados com 12 anos ou mais, completados até 31 de dezembro de 2016;
  • número do CPF de dependentes ou alimentados maiores de 18 anos, com nome completo e grau de parentesco;
  • comprovantes de doações recebidas ou feitas às pessoas físicas ou jurídicas;
  • nome e CPF de ex-cônjuges e de filhos para comprovar o pagamento de pensão alimentícia cujos valores foram acertados judicialmente;
  • comprovante do pagamento do INSS do empregado doméstico;
  • recibos de pagamentos a planos de previdência privada;
  • comprovantes de dívidas assumidas, empréstimos e financiamentos no ano de 2016;
  • comprovantes das despesas do livro caixa para trabalhadores autônomos;
  • comprovantes de rendimentos e despesas dos dependentes. No caso de declaração conjunta, serão necessários os do cônjuge também;
  • dados da conta bancária para depósito, caso tenha valores a serem restituídos.

Declarando os rendimentos recebidos como MEI

O freelancer como pessoa física titular do MEI, pode ter a obrigação de declarar o IRPF e terá de declarar os rendimentos recebidos pelo MEI.

Nesse sentido, o artigo 14 da Lei complementar 123 de 2006 diz que o valor que o titular do MEI recebe é considerado isento de IR, seja na fonte ou na Declaração de IR.

Mas o primeiro parágrafo descreve que a isenção desse valor está limitada aos percentuais aplicáveis de que trata o artigo 15 da Lei 9.249 de 1995, que para prestação de serviços é de 32%.

Ou seja, se você prestar serviços como MEI, 32% da sua receita bruta total é isenta de IR e o restante (68%) é considerado lucro tributável.

Ao final da declaração, o PGD apresenta um comparativo entre os dois modelos de declaração (simples ou completa).

  • declaração simples: é a opção pelo desconto simplificado, que corresponde à dedução de 20% sobre a base de cálculo do imposto, limitado a R$ 16.754,34;
  • declaração completa: as deduções são feitas uma a uma, de acordo com a legislação tributária.

6. Freelancer precisa emitir nota fiscal?

nota fiscal é um documento de caráter formal e jurídico. Assim, ela permite que a relação de trabalho em questão seja legalizada, garantindo os direitos de ambas as partes.

É também parte da construção do currículo profissional de uma modalidade de contratação que vem ganhando cada vez mais força, em função da expansão dos negócios digitais, particularmente no âmbito da produção de conteúdo.

Em resumo, existem dois tipos de enquadramento para o trabalho de freelancer: a prestação de serviço formal e legalizada ou o trabalho autônomo e informal.

Ainda que para as empresas contratantes a formalidade seja a melhor escolha, cabe ao profissional freelancer decidir se deseja a formalização como um meio para o crescimento e sucesso do seu trabalho.

7. Como organizar minha gestão financeira?

Não importa se o seu trabalho de freelancer garante sua renda principal ou é somente um complemento para sua renda mensal. Para você não se perder nas finanças e manter sua conta no azul é preciso manter uma gestão inteligente do seu negócio. Confira algumas dicas.

Organize seu fluxo de caixa

Mantenha o seu fluxo de caixa organizado e atualizado, que nada mais é do que uma planilha com os valores recebidos e os seus gastos.

Como freelancer você poderá ter uma renda considerável em um mês e no outro precisar consumir suas reservas financeiras, por isso é preciso saber exatamente para onde vai o seu dinheiro.

É comum que os custos do trabalho de freelancer se misturem com as despesas pessoais, contudo, isso não é motivo para manter as contas desorganizadas. Portanto, verifique em que pontos as despesas estão se excedendo e podem ser cortadas.

Se por acaso, você verificar que em algum mês terá pouca receita, invista mais na divulgação do seu negócio ou foque em trabalhos que paguem em curto prazo.

Existem ainda diversas ferramentas para você acompanhar o andamento das suas finanças. Tendo isso em mente, dedique pelo menos uma hora a cada semana para manter esse controle financeiro atualizado.

Estabeleça metas

Ainda que o trabalho de freelancer oscile bastante entre os meses, não constituindo uma receita fixa, é importante estabelecer metas mensais. Então, defina quanto você quer receber por mês.

Isso ajudará a saber quantos trabalhos você precisa pegar por mês para compor sua meta estabelecida, servindo também para determinar as prioridades da semana.

Tenha reservas

Independente do quanto você ganha com o seu trabalho de freelancer por mês, você deve reservar uma parte deste dinheiro.

Habitue-se a reservar 20% de todo valor recebido. Pode parecer difícil no começo, mas isso fará toda a diferença quando você passar por apertos em períodos de pouca demanda de trabalho.

Para valores pequenos, uma boa opção é a poupança. Valores mais expressivos, por outro lado, podem ser aplicados em investimentos de maior rentabilidade.

Invista no seu negócio

Mesmo trabalhando por conta própria, você precisa começar a pensar como em uma empresa. Para que o seu negócio cresça, é preciso fazer investimentos e continuar competitivo no mercado.

Invista no seu desenvolvimento profissional, afinal você é o seu maior patrimônio. Cursos, workshops, eventos, ocasiões de networking entre outros: participe o máximo que puder.

Resumindo, conheça todas as habilidades e conhecimentos que você precisa dominar e procure sempre estar atualizado na área em que atua.

Uma grande vantagem hoje é que a internet disponibiliza muito conteúdo gratuito e de ótima qualidade para ajudá-lo nessa caminhada.

Contrate um serviço de contabilidade

A contabilidade é fundamental para garantir o desenvolvimento dessa atividade, torná-la efetivamente rentável e até mesmo, a principal fonte de renda.

Se você quer realmente investir na sua carreira de freelancer, provavelmente precisará de um acompanhamento e orientações contábeis que ajudem a alavancar seu negócio.

Por isso, considere contratar um serviço de contabilidade para auxiliá-lo a cuidar da sua rotina contábil em questões burocráticas, recolhimentos de impostos, declaração de imposto de renda, emissão de nota fiscal, entre outros.

ContSimples, por exemplo, presta serviços contábeis por meio de uma interface de contabilidade on-line simples e interativa, focada em pequenas empresas, além de contar com um corpo de contadores especializados na modalidade Micro empresas.

Comece dando um passo de cada vez e, antes que você perceba, terá um controle mais estratégico do seu trabalho de freelancer, assim como potencial de crescimento e sucesso!

E então, você já trabalha como freelancer e tem dúvidas sobre como organizar suas finanças? Já conta com algum serviço de contabilidade para auxiliar na administração da sua empresa? Conte para a gente nos comentários!


Comentários:

×