Registrar uma marca

Quando e por que é necessário registrar sua marca? Saiba mais!

Saber como registrar uma marca é uma dúvida presente na cabeça de boa parte dos empreendedores. Aliás, essa dúvida acaba inclusive fazendo com que muitos deixem a ideia de lado, não dando a devida importância para isso.

Por isso, preparamos um conteúdo exclusivo para que você possa entender a importância do assunto. Afinal, a marca nada mais é do que a identidade e a cara da empresa, não só para o mercado, mas também serve para muitas questões relacionadas ao seu ambiente interno.

Então, continue acompanhando a leitura do post para saber em mais detalhes como garantir a exclusividade da sua marca, além de lhe mostrar um pouco do processo para que você possa fazer isso. Veja:

Por que registrar a sua marca?

Antes de apresentarmos como registrar uma marca, vamos listar alguns motivos para que você siga esse processo do início ao fim e faça o registro:

Preservação da identidade da empresa

Nem precisamos falar que todo negócio possui uma marca. Independentemente se é apenas um nome ou um símbolo, é isso que representa a identidade da empresa para o mundo.

Ou seja, quando as pessoas olharem para essa marca, elas precisam associá-la à empresa que é detentora dessa marca. Por isso, podemos dizer que é uma questão de existência e também de preservação da identidade de um negócio ou de um produto perante o seu mercado.

Proteção contra a concorrência

Saiba que registrar a marca lhe dará a tranquilidade da garantia contra o seu uso indevido. Isso deixará a sua empresa totalmente blindada contra possíveis atos de má fé praticados por terceiros, o que pode configurar uma concorrência desleal.

Portanto, o registro da marca trará muito mais tranquilidade, pois assim a atuação da empresa jamais será prejudicada por qualquer tipo de ação relacionada a isso.

Fidelização de clientes

Outro grande motivo para você registrar a marca da sua empresa é a questão de que ela também ajuda na fidelização de clientes. Você pode perceber que em todos os mercados há marcas consolidadas, com clientes que são totalmente fiéis a elas, dando preferência não somente aos seus produtos, mas para a aquisição da sua marca.

Exemplos de empresas em que os clientes são verdadeiros embaixadores da marca não faltam, uma delas é a Apple, que há anos conquista novos clientes e mantém os antigos por meio da sua marca. Então, registrar a marca também ajudará indiretamente o negócio a vender mais e trazer mais clientes.

Quais as vantagens de registrar a marca?

Agora, vamos falar um pouco mais das vantagens de ter uma marca registrada. Olha só a lista das principais vantagens que preparamos para você conferir:

  • A marca registrada aumenta a credibilidade do seu negócio, perante os clientes e o próprio mercado;​
  • Com o registro, somente você terá o direito de usá-la;
  • Entrando um pouco mais na parte interna, será possível associar o valor da marca ao capital social do negócio;
  • Você terá exclusividade no uso da marca, sendo possível que os clientes façam a associação dela somente aos seus serviços e produtos.

Obviamente que existem mais vantagens, mas essas que listamos, juntamente com os motivos do tópico anterior, já são boas razões para você começar a registrá-la agora mesmo.

Como registrar uma marca?

Agora sim está na hora de saber o que fazer para registrar uma marca. Seguem algumas dicas para que você esteja muito bem preparado para esse processo:

1. Consulte se a marca não está em uso

A primeira coisa que você precisa fazer é consultar no INPI (Instituto Nacional da Propriedade Industrial) se a marca já está em uso, ou seja, se ela já foi registrada por alguém.

Caso sim, paciência! Pense em outra marca para o seu negócio. Caso contrário, não perca tempo, você poderá solicitar o seu registro, que levará em torno de até 2 anos para ser concretizado!

Ao receber o registro, ele terá uma validade de aproximadamente 10 anos, sendo possível renová-lo.

2. Verifique o valor do registro

Saiba desde já que para registrar a marca será necessário arcar com os custos desse processo, que envolve pagar ao menos duas taxas. Elas são referentes ao pedido de registro e ao recebimento do registro.

Outras taxas poderão aparecer no meio do caminho, principalmente se no meio do processo for necessário a apresentação de outros documentos para dar andamento a ele.

Saiba também que o INPI oferece desconto para microempreendedores individuais (MEIs), microempresas, cooperativas e pessoas físicas.

Não deixe de consultar os valores cobrados no portal do INPI.

3. Defina o setor da marca

Fique sabendo que uma mesma marca poderá ser sim registrada por várias empresas, desde que elas atuem em setores de atividades diferentes. Por exemplo, poderá existir uma marca de roupas, um hotel e uma bebida com o mesmo nome.

Então, é preciso que você saiba quais são os setores disponíveis e escolher bem em qual deles a sua empresa se encaixa melhor.

Você poderá saber melhor sobre isso acessando a classificação disponibilizada pelo INPI.

4. Crie uma apresentação para a marca

Antes de dar entrada no pedido de registro, é preciso que você consulte o manual do INPI e veja quais são os tipos de marca e em qual a sua se encaixa.

Questionamentos que você precisa ter em mente: o registro será apenas de uma logomarca ou um nome comercial? A marca tem características tridimensionais? Dentre outras características.

Essa é a hora de definir tudo isso e formular uma apresentação para não ter erro nesse momento que é tão importante para o registro.

5. Escolha a natureza da sua marca

Por fim, será preciso que você estabeleça uma classificação para a sua marca.

O INPI oferece várias opções para você classificar o que quer registrar, podendo ser somente um serviço, um produto, uma marca coletiva ou de certificação.

Definir isso da maneira correta é um passo importante para não ter dores de cabeça no futuro, ok?

Deu para entender melhor a importância de ter uma marca registrada, não é mesmo? Então, não perca tempo, inicie esse processo o quanto antes!

Agora que você já sabe como registrar a marca, descubra como organizar as finanças da sua loja virtual!

Autor Contsimples Fransico

Francisco Melo Jr.

Contador especializado em micro e pequenas empresas com 20 anos de experiência.
Head de Contabilidade da ContSimples, dedica seu tempo a descomplicar a contabilidade e a escalar montanhas por aí.



Comentários: