Profissional Liberal ou Simples Nacional

Profissional Liberal ou Simples Nacional: qual é o melhor regime?

Você ainda não sabe qual é o melhor regime para a sua atividade? Profissional Liberal ou Simples nacional?

Para esclarecer as dúvidas, este artigo traz um comparativo completo, destacando qual é a diferença entre o teto de lucros e a incidência de impostos por meio de exemplos de atividades que se encaixam nos diferentes regimes.

Desde 2015, um novo leque de profissionais liberais pode aderir ao Simples Nacional. Essa opção pode oferecer vantagens e desvantagens dependendo do faturamento do seu negócio. Vamos conferir se é melhor profissional liberal ou simples nacional?

O que é Simples Nacional?

Se você é um profissional liberal e ainda não sabe exatamente o que é o Simples Nacional, vamos explicar! O Simples é um regime de tributação simplificado para microempresas e empresas de pequeno porte.

Vale destacar que ele é um regime opcional, então cabe a você decidir se vai optar ou não por migrar. Portanto, é fundamental conhecer todas as vantagens e desvantagens antes de tomar uma decisão.

Lei Complementar nº 155 de 2016

Antes de entrar em tópicos que revelam mais detalhes sobre a opção de mudar de Profissional Liberal para Simples Nacional, vamos mostrar algumas mudanças recentes no Simples com a Lei Complementar nº 155.

Com a nova versão da Lei, o limite anual para microempresas passa dos R$360 mil para R$900 mil. Para outras empresas o novo limite é de até R$4,8 milhões de faturamento.

Quais áreas fazem parte do Simples?

Medicina, veterinária, odontologia, psicologia, psicanálise, terapia ocupacional, design, auditoria, consultoria, economia, gestão, controle e administração, corretagem, agronomia, desenho, geologia, fisioterapia, advocacia, arquitetura, engenharia, jornalismo, publicidade, podologia, perícia, testes, suporte e análises técnicas e tecnologias, pesquisa, entre outras.

De autônomo para Simples

Especialistas do mercado financeiro destacam que diversos profissionais liberais como médicos, dentistas, fisioterapeutas e veterinários pagam impostos como autônomos, sem analisar as vantagens de abrir uma empresa.

Como autônomo, você vai pagar o Imposto de Renda sobre o seu rendimento, ou seja, haverá descontos das despesas dedutíveis. Há também taxas referentes ao exercício de sua profissão.

No caso do Simples Nacional, a alíquota de Imposto de Renda da empresa está incluída no Simples, então o profissional ou pessoa física passa a pagá-lo em cima do seu pró-labore, ou seja, o salário definido para o sócio da empresa.

Preciso mudar a razão social da minha empresa?

Essa opção é gratuita, não há nenhum custo para aderir ao Simples. Não será necessário mudar o nome ou alterar a razão social da sua empresa. Também não será necessário mudar o CNPJ. Além disso, o mesmo bloco de notas fiscais poderá ser utilizado.

Pró-labore e lucros

Quando você adere ao Simples Nacional, sua remuneração passa a ser composta por pró-labore e a distribuição de lucros.

Com a distribuição de lucros, você vai pagar menos impostos, operando dentro da legalidade. Isso porque há uma isenção de impostos nesse caso e o lucro já foi tributado da empresa.

Portanto, quanto menor for o pró-labore, menos Imposto de Renda você pagará — lembrando que há isenção para valores inferiores a R$1903,98.

Outro ponto que merece atenção: o pró-labore deve ser compatível com a atividade que é realizada pela sua empresa.

INSS do profissional liberal

Profissional liberal ou simples nacional deve pagar INSS. Como profissional liberal, você vai pagar INSS de 20% sobre o seu rendimento.

Já no caso do Simples, a alíquota do INSS da empresa estará incluída no Simples Nacional. Nesse caso, o profissional passa a pagar 11% sobre seu pró-labore.

De acordo com a tabela de 2016, se você é um autônomo e paga o INSS pelo rendimento de R$4 mil, vai contribuir com 20% desse valor, ou seja, R$800. Ao se tornar microempresário, passaria a contribuir com R$440 (11%).

Segundo especialistas, há uma enorme quantidade de profissionais liberais que não contribuem para o INSS. Isso é errado, pois todos que exercem uma atividade remunerada são obrigados a contribuir com esse tributo.

Além de ser irregular deixar de contribuir, você perde benefícios destinados a quem contribui e esse fato ainda pode prejudicar o planejamento da sua aposentadoria. Há benefícios proporcionais de acordo com a sua contribuição, então não deixe de investir nisso.

INSS dos eventuais empregados

O profissional liberal recolhe 9% de INSS sobre a folha de pagamentos dos colaboradores e há ainda um desconto de 11% no salário do empregado, totalizando 20%. No caso do Simples, a empresa é responsável pelo recolhimento do INSS dos empregados, que é incluído na alíquota.

No caso de pessoa física, nenhum valor é pago. Ao abrir uma empresa, você deve tomar muito cuidado para não misturar finanças da empresa com suas finanças, certo?

Para seguir o caminho certo, procure ajuda especializada. Se você precisa de auxílio com suas finanças, leia nosso guia para entender a importância da contabilidade para empresas.

Profissional Liberal ou Simples Nacional?

Quais são as vantagens do Simples?

No Simples Nacional, a arrecadação de grande parte da carga tributária é feita em uma única plataforma. Com isso, você paga tributos com mais agilidade e não precisa se preocupar tanto com burocracia.

Além da possibilidade de reduzir custos mensais, você vai ganhar mais tempo para focar em outras atividades. Mas não se esqueça de fazer um bom planejamento e analisar quais são os benefícios mais apropriados para você.

Quanto mais funcionários, mais vantagens a empresa terá ao optar pelo Simples.

Quais são as desvantagens?

No caso específico do Simples Nacional, o cálculo do lucro é realizado utilizando a receita bruta total mensal auferida.

Antes de tomar uma decisão, você deve avaliar o tipo de atividade exercida por sua empresa e decidir se essa opção é mais benéfica do que outros regimes tradicionais, como o Lucro Real ou Presumido.

Outra dica importante é que a base de todo o planejamento deve ser feita por meio de dedicação, especialização e comprometimento.

É fundamental contratar uma equipe especializada para fazer a análise de qual é o melhor regime para você e sua empresa, com o objetivo de alcançar bons resultados e destaque no mercado. Assim, fica bem mais fácil optar entre ser profissional liberal ou simples nacional, não é mesmo?

Francisco Melo Jr.

Formado em Ciências Contábeis com 20 anos de experiência no mercado. É especialista em contabilidade para Pequenos Negócios, palestrante nas horas vagas e consultor contábil na ContSimples. Dedica seu tempo a descomplicar a contabilidade e a escalar montanhas por aí.



Comentários:

×