microempreendedor-veja-7-dicas-para-sua-empresa-estar-atenta.jpeg

Microempreendedor: veja 7 dicas para sua empresa estar atenta

Dar início a um novo negócio costuma ser o sonho de muita gente. Deixar de lado certas obrigações, nunca mais ter que ouvir broncas do chefe e poder estruturar o próprio crescimento parece ser algo muito motivador.

É nesse sentido que trabalhar como microempreendedor individual aparece como uma possibilidade para muitas pessoas. O MEI, como é conhecido, representa uma categoria de empreendedores que começam a atuar sozinhos e que contam com uma série de benefícios do governo justamente para que possam crescer.

Se você faz parte desse grupo ou se pretende começar o próprio projeto, acompanhe este texto até o final. Temos dicas importantes para você, que podem fazer a diferença no seu negócio. Confira!

O que é uma microempresa

Vamos começar pelo básico: o conceito de microempresa. Segundo a Lei Geral das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte, do ano de 2006, o critério que diferencia uma microempresa de uma empresa de pequeno porte e um microempreendedor individual é sua receita bruta.

Assim, quando a receita bruta é igual ou inferior a R$ 360 mil por ano, o empreendimento é considerado uma microempresa. Se essa receita for superior a R$ 360 mil e igual ou inferior a R$ 3.600.000,00, a empresa será considerada como de pequeno porte.

Já nos casos em que uma pessoa trabalha por conta própria e se formaliza diante do governo por meio do Simples Nacional, com receita bruta anual de até R$ 60 mil, trata-se de um microempreendedor individual.

Isso significa que o microempreendedor individual é um tipo de empresário formalizado e regularizado para atuar profissionalmente. É uma categoria criada especificamente para contemplar indivíduos que possuem seu próprio negócio de pequeno porte com lucros reduzidos.

O papel do microempreendedor

O grande diferencial dessa categoria é realmente a formalização. Com o MEI, inúmeros trabalhadores que até então atuavam de maneira informal em nosso país passaram a regularizar seu empreendimento e a contribuir com os impostos federais, estaduais e municipais pelo Simples Nacional.

Além da formalização de seu negócio o que garante credibilidade junto ao mercado e aos clientes o MEI pode se beneficiar também de direitos como salário-maternidade, auxílio-doença, aposentadoria por idade ou invalidez, pensão por morte e auxílio-reclusão, além de acesso a crédito em bancos públicos.

A única exigência feita ao microempreendedor individual é que ele pague mensalmente as seguintes contribuições:

  • Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS);

  • Instituto Nacional do Seguro Social (INSS);

  • Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

Todos eles são reunidos em um único documento, o Documento de Arrecadação Simplificada do MEI, popularmente conhecido como DAS-MEI. Além disso, cabe ao empreendedor fazer anualmente a sua declaração de imposto de renda pelo Simples Nacional, informando seus ganhos no ano anterior.

A formalização do microempreendedor individual

Agora que você entende melhor como funciona, de fato, a vida do microempreendedor, já pode tomar a decisão de abrir sua empresa.

Ao providenciar sua documentação para formalizá-la, é preciso acessar o Portal do Empreendedor e fornecer os dados relativos ao CPF, data de nascimento do titular e título de eleitor ou o número do último recibo de entrega da Declaração Anual de Imposto de Renda Pessoa Física (DIRPF).

Assim, você consegue dar início à formalização da sua situação profissional sem sair de casa. Uma vez formalizado, você pode imprimir o DAS para recolhimento de suas contribuições legais e imprimir seu Certificado de Microempreendedor Individual –CCMEI, assim como o Cartão do CNPJ no site da Receita Federal, documentos que conferirão legalidade à sua atuação.

Lembrando que, para atuar formalmente como MEI, é preciso cumprir com as devidas exigências:

  • Não ultrapassar o faturamento anual de R$ 60.000,00;

  • Não ser sócio ou titular de qualquer outra empresa;

  • Trabalhar com, no máximo, um único funcionário contratado recebendo um salário mínimo ou o piso de sua categoria.

Dicas de gestão para a empresa

Vamos agora considerar algumas sugestões para otimizar a gestão de seu negócio. Algumas delas têm caráter geral e podem ser aplicadas em qualquer tipo de empreendimento. Outras podem ser úteis para situações mais específicas.

Confira:

Regularize sua situação

Todo esse procedimento anteriormente citado pode ser trabalhoso. Ainda que o processo comece online, você pode ter que dar sequência à sua regularização junto à prefeitura de seu município, a Receita Federal, entre outros.

Além disso, muitas vezes, para fugir da burocracia e dos impostos (a carga tributária realmente pesa muito sobre os empreendimentos), novos empreendedores preferem atuar informalmente. Isso pode até funcionar nos primeiros meses, mas com o crescimento do negócio a tendência é que em algum momento o empreendimento encontre um obstáculo.

Muitos negócios informais não conseguem avançar por não estarem devidamente regularizados, uma vez que não podem emitir notas fiscais, não possuem condições de ter uma conta bancária como pessoa jurídica, solicitar empréstimos, trabalhar com máquinas de cartão de crédito, entre outros benefícios exclusivos de empresas formalizadas.

Além disso, dependendo do produto vendido ou serviço prestado, é possível que a empresa seja punida por não atender às exigências legais, sofrendo um prejuízo considerável.

Organize a vida financeira da sua empresa

Não perca o controle sobre suas atividades. Uma boa gestão financeira é útil não somente para fazer com que sua empresa obtenha maiores lucros, mas também para que em casos de crises momentâneas, você tenha como enfrentar a fase difícil com a reserva feita em épocas de prosperidade.

Comece pelo fluxo de caixa. Isso, basicamente, diz respeito ao controle daquilo que entra e sai do caixa de sua empresa. Esse procedimento pode ser feito de maneira racional, através do uso de planilhas ou via softwares de gestão, uma solução moderna que vem revolucionando o dia a dia das empresas.

Independentemente da ferramenta utilizada, o fato é que com um melhor controle financeiro o gestor pode fazer o planejamento adequado para o sucesso do seu empreendimento.

Saiba definir valores de produtos e serviços

Em muitos casos, empreendedores que começam a vender reclamam ao não ver o dinheiro entrar, ainda que o volume de vendas seja significativo. Isso pode ter a ver com os cálculos errados na definição de margens de lucro e preço do que se vende.

Calcular corretamente faz toda a diferença nas finanças da empresa. Um bom cálculo é consequência de uma boa pesquisa de mercado, capaz de dar ao gestor a impressão exata sobre o impacto que seu produto ou serviço pode ter sobre o potencial cliente. Faça uma pesquisa de mercado antes de definir preços para garantir que a sua oferta não está em descompasso com a procura.

Negocie sempre

Muitas vezes, a capacidade de lidar com outras pessoas tem tanta importância quanto a qualidade do produto ou serviço oferecido. Por isso é bom trabalhar as habilidades sociais. Um bom negociador é capaz de obter benefícios como o corte de gastos e a economia sobre compras.

É preciso saber lidar com fornecedores e clientes sempre de maneira interessante para todos os envolvidos. Uma dica importante nesse sentido é fazer compras grandes e oferecer o pagamento à vista, em vez de parcelado.

A maior parte das empresas gosta disso e chega até mesmo a propor preços mais baixos para quem faz esse tipo de prática. Essa é uma boa possibilidade para empresas que possuem um bom fluxo de caixa.

Atenção ao gerenciamento do estoque da empresa

Este ponto é altamente relevante dentro de qualquer empreendimento. O raciocínio básico aqui é muito simples: tudo o que sai precisa ser reposto. Da mesma forma, tudo o que é vendido precisa ser entregue dentro do prazo.

Por isso, ter uma boa política de controle de estoque faz toda a diferença. Como trabalhar bem com as entregas se você não sabe exatamente a quantidade de produtos que tem disponível em seu estoque? Além disso, é preciso cuidado com as mercadorias.

Empresas que trabalham com produtos com prazo de validade curto, como alimentos perecíveis, por exemplo, precisam investir num sistema de controle ainda mais rigoroso. Por isso, a dica aqui é contar com softwares de controle de estoque.

Tenha uma estratégia de comunicação para divulgar sua empresa

Como uma pessoa que precisa de seus serviços saberá da existência de sua empresa a ponto de chegar até você e adquirir seus produtos ou serviços? É fundamental que, de alguma forma, você ocupe os espaços certos para que, assim que essa pessoa procurar pelo que você oferece, ela chegue exatamente à sua empresa e não à do concorrente.

Para isso é preciso divulgar. A boa notícia é os veículos tradicionais de comunicação (e mais caros), como TV, rádio e jornais já não são mais as únicas possibilidades para as empresas. Com a revolução tecnológica, surgiram opções como a internet. Assim, você pode desenvolver uma estratégia eficiente de marketing digital pagando preços compatíveis com a sua realidade.

Você pode trabalhar com redes sociais, criando o perfil de sua empresa no Facebook, por exemplo, para oferecer conteúdo relevante às pessoas que têm interesse em sua área de atuação. Uma campanha baseada em meios digitais é uma boa forma de expandir sua mensagem e colocar os serviços de sua empresa ao alcance de quem quer que precise dela.

Trabalhe com profissionais de contabilidade

Em hipótese alguma assuma para si a responsabilidade total sobre os serviços contábeis de sua empresa. Não cometa esse erro. Muitas vezes, as boas ideias vão por água abaixo justamente porque seus gestores tentam resolver problemas burocráticos sem o devido conhecimento.

No Brasil, as empresas precisam sempre estar atentas a uma série de fatores que envolvem os tributos. Entre eles estão a Legislação tributária e as circunstâncias políticas. Assim, um devido entendimento desses elementos pode evitar prejuízos consideráveis diante de eventuais mudanças de leis que alteram também o modo de lidar com as obrigações.

Nesse sentido, é válido terceirizar o setor contábil de sua empresa, visando obter benefícios como uma melhor gestão tributária, algo que faz a diferença num país em que a alta carga tributária segue como um pesadelo para as empresas.

Dicas para o microempreendedor

Além das dicas de gestão, é importante também que você conheça bem o seu papel como microempreendedor. Algumas práticas que você pode começar a adotar na sua rotina tanto no trabalho quanto na vida pessoal podem te ajudar a lidar melhor com o negócio para acelerar seu crescimento.

Conheça algumas delas:

Esteja realmente disposto a receber conselhos

Antes de dar início às suas atividades profissionais, é importante reunir o máximo possível de informações sobre o universo em que você pretende atuar para garantir que o negócio é viável. Isso permite que, além de obter boas informações a respeito de mercado, clientes e concorrência, você também economize tanto tempo quanto dinheiro.

Pessoas que já passaram pela mesma situação ou seja, microempreendedores que conseguiram crescer e transformar suas empresas em um grande negócio sempre têm muito a oferecer. Portanto, não pense que compartilhar sua ideia com elas seja um problema.

Ao perceber que você leva jeito, elas terão interesse em se aproximar de alguém que pode contribuir com suas atividades. Isso pode dar início a excelentes parcerias. Por isso, procure por dicas e informações precisas. Quanto mais, melhor!

Muitas vezes, as ideias são modificadas e melhoradas em função de dicas a respeito do comportamento do consumidor local, regimes tributários, entre outros. Esse é outro motivo para você não deixar de ouvir as pessoas.

Conheça seus clientes

A dica aqui não diz respeito somente a fazer uma pesquisa de mercado capaz de identificar seu público-alvo. Tudo bem, isso também é de grande importância. No entanto, além disso, é importante procurar conhecer pessoalmente quem pode ser impactado pelo seu empreendimento sempre que isso for possível.

Quanto maior o grau de conhecimento que você tiver da pessoa que tem interesse em seu negócio, melhor: você obtém maiores possibilidades de atingir esse consumidor com um produto ou serviço que interesse a ele. Essa é a grande vantagem das pequenas empresas em relação às grandes corporações.

Ainda que você não tenha condições de atingir um número tão grande de clientes, é possível segmentar sua mensagem e atingir precisamente os interesses daqueles que estão mais próximos ou seja, os vizinhos, os colegas de bairro, conhecidos da comunidade em que vive, entre outros. É preciso, portanto, ter uma boa capacidade de observação, identificando padrões de comportamento e hábitos.

Estude administração

Não pense que administrar um negócio é tarefa fácil. Muito embora excelentes empreendimentos tenham evoluído exclusivamente a partir da experiência adquirida pelo gestor após anos de prática, essa é uma exceção à regra. Na maioria dos casos, gestores despreparados ficaram pelo caminho e a história deles não é contada.

Além disso, tudo o que se ensina numa faculdade é comprovado cientificamente, ou seja, você não aprenderá algo que pode dar errado. Pelo contrário, são técnicas e habilidades que tendem a funcionar por terem sido criadas em função de critérios muito rígidos.

Por isso, a dica é estudar Administração de Empresas. Independentemente do lugar e da maneira como você estudar, essa ação é importante, pois você terá acesso ao conhecimento que precisa para acertar mais do que errar no comando de sua empresa. Acredite, isso será um diferencial para fazer o seu negócio crescer mais rápido.

Separe suas despesas pessoais dos gastos da empresa

Quer uma dica precisa? Jamais confunda suas contas com as contas da empresa. Entre os erros mais comuns cometidos por empreendedores menos experientes é usar os cofres da empresa para pagar suas contas pessoais, gerando prejuízos para a organização que podem levá-la à falência.

Entenda que os cofres da empresa precisam ser movimentados em função do empreendimento, até mesmo para que o controle sobre ele seja feito de maneira mais adequada e as projeções possam ser feitas de maneira mais certeira.

Quando confunde as coisas e usa o dinheiro da empresa para pagar contas pessoais você faz uma autossabotagem, pois inconscientemente está se acostumando a desrespeitar a política da própria empresa uma vez que não retirar o dinheiro do caixa é uma regra básica a ser respeitada.

Procure estabelecer um valor de retirada mensal sobre os ganhos, o chamado pró-labore, e reinvestir o que sobrar dos lucros na empresa. Isso pode ser útil para estimular o crescimento do negócio.

Valorize sua criatividade, mas com prudência

Além da técnica, em muitas situações você se verá diante da necessidade de improvisar. Oferecer soluções criativas para seus clientes, dando a eles algo que a concorrência não pode, muitas vezes pode inviabilizar a obtenção de lucros maiores num primeiro momento. No entanto, se isso estiver dentro de uma estratégia a longo prazo, pensada e muito bem trabalhada, você pode cativar esses clientes e, assim, obter lucros fantásticos.

Da mesma forma, em situações em que sua empresa não tem como competir contra companhias maiores, você pode apostar em promoções, por exemplo, levando até o consumidor diferenciais na luta por sua fidelidade. Enfim, é preciso pensar em soluções criativas sempre, indo além do que pode parecer lógico num primeiro momento.

No entanto, lembre-se: não coloque seu empreendimento em risco. Se em alguma situação você não julgar conveniente, não use sua criatividade. Às vezes a prudência também é um diferencial. É importante saber valorizar o equilíbrio na tomada de decisões.

Otimização de serviços

Como você deve ter percebido, em algumas oportunidades nós sugerimos ferramentas tecnológicas entre as dicas apresentadas. É inevitável falar nisso, uma vez que vivemos um momento muito peculiar em relação ao avanço da tecnologia na rotina das empresas.

No caso do MEI, isso é algo sensacional. Se anteriormente uma das dificuldades que os empreendedores de pequeno porte enfrentavam era o acesso à tecnologia, hoje, com a popularização dessas ferramentas, ele pode fazer uso delas tanto quanto as grandes organizações.

Ferramentas como softwares de controle financeiro, por exemplo, permitem benefícios como o controle das contas a pagar e a receber com maior praticidade e segurança. Isso tudo sem a necessidade de conhecimentos técnicos avançados para a organização das informações. Essa é uma alternativa interessante para fazer as consultas das contas e planejar ações.

Da mesma forma, aplicativos de organização podem ser úteis para que o MEI não perca prazos e sofra com multas em relação aos seus impostos. Alguns deles são capazes de lembrar datas como o vencimento do DAS e da declaração anual, além de fazer o controle de despesas e calcular o tempo necessário para que o empreendedor tenha direito aos benefícios a ele concedidos.

Além disso, é possível contar com softwares especializados na emissão de notas fiscais eletrônicas para garantir que todo o processo ocorra em conformidade com as exigências da Secretaria da Fazenda, a Receita Federal e outros órgãos competentes.

Outros processos importantes para a pequena empresa, como a conciliação de cartões de crédito e de débito, também podem ser simplificados a partir do uso de plataformas que padronizam de maneira inteligente o gerenciamento do trabalho com diversos tipos de cartões algo muito útil em tempos em que boa parte das compras é feita a partir de cartões de diferentes operadoras.

Seguindo essa lógica e pensando na necessidade da contabilidade eficiente em pequenos empreendimentos, a ContSimples oferece um serviço contábil completo para sua empresa, totalmente baseado em ambiente online, por meio de uma plataforma simples de navegar e bastante intuitiva.

Visando especificamente o MEI, nós oferecemos uma equipe de contadores experientes, capazes de oferecer um trabalho de alto nível por um excelente custo-benefício. Imagine ter acesso a um serviço de qualidade, planejado para atender a todas as exigências de um MEI, diretamente de sua casa, bastando apenas um computador e o acesso à internet?

É isso o que a ContSimples oferece.

O desafio de ser microempreendedor

Ser um microempreendedor é, antes de qualquer coisa, um desafio. Trata-se de uma tarefa que exige muito para que seja bem-sucedida. Entretanto, é possível contar com alguns recursos para facilitar essa caminhada em busca do sucesso.

Procuramos aqui apresentar os mais relevantes deles, com destaque para o uso de novas tecnologias, algo que pode ser um diferencial e tanto, se considerarmos que as ferramentas estão disponíveis de uma maneira como nunca foi vista antes.

Esperamos que nossas dicas tenham sido úteis para você e desejamos sucesso! Assine nossa newsletter para saber mais sobre empreendedorismo e receba nossos textos em primeira mão.


Comentários:

×